Pão e Cerveja

Cerveja de mandioca muda a vida de agricultores familiares em Goiás

A cada mês a Associação dos Agricultores Familiares de Bela Vista de Goiás vai fornecer 1 tonelada de mandioca à cervejaria Colombina

Cervejas com mandioca da Colombina

Linha Rensga, da cervejaria Colombina, de cervejas feitas com mandioca

A mandioca, base alimentar do brasileiro desde sempre, agora é componente de cervejas no estado do Goiás.

Por iniciativa do governo do estado cervejarias foram contactadas para desenvolver um projeto de fomento à agricultura familiar.

A Secretaria de Estado da Retomada do Governo de Goiás fez a ponte entre os produtores de mandioca e as cervejarias. No primeiro chamado, Ambev e a cervejaria artesanal goiana Colombina atenderam.

E assim surgiu a linha Colombina Rensga.

Rensga é uma expressão muito utilizada pelos goianos para representar tudo o que os surpreende positivamente.

Desde que foi criada, há 7 anos, a Colombina tem dado holofotes aos frutos regionais do Cerrado, produzindo cervejas com cagaita, pequi, baunilha do cerrado, castanha de baru, entre vários outros.

Mandioca como ingrediente

A mandioca entrou no circuito a partir dessa proposta governamental, mas conversa perfeitamente com a filosofia da Colombina de valorizar a cultura gastronômica local.

“Vislumbramos com esse projeto um reforço dos valores defendidos pela Colombina, de priorizar o pequeno produtor no fornecimento de nossas matérias-primas.” explica Patrícia Mercês, CEO da Colombina

A nova linha Colombina Rensga traz em sua composição 16% de mandioca, que entra na receita, junto ao malte, como fonte de açúcar para as leveduras.

” Sensorialmente a presença da mandioca é praticamente imperceptível, não alterando no sabor ou aroma”, explica o Sommelier de Cervejas e sócio da Colombina, Alberto Nascimento.

Conhecendo o trabalho do pequeno produtor

Sócios da Colombina em contato com um dos produtores de mandioca
A valorização do trabalho dos pequenos agricultores de mandioca do GO faz parte do projeto/foto: Letícia Irene

O trabalho dos pequenos agricultores da mandioca utilizada na linha Rensga pode ser acompanhada pelo consumidor.

No rótulo das cervejas foi inserido um QR Code que permite rastrear a matéria-prima produzida em Goiás.

No caso da Colombina, a mandioca foi negociada diretamente com a Associação dos Agricultores Familiares de Bela Vista de Goiás (Afabev).

A parceria entre a cervejaria e a Afabev prevê a aquisição de uma tonelada de mandioca por mês.

Rensga tem 2 versões de cerveja com mandioca

A Colombina Rensga! chega ao mercado em duas versões: Lager e IPA, ampliando o atual portfólio de 20 diferentes cervejas em linha de produção atualmente.

A Rensga Lager leva em sua composição lúpulos nobres como o Saphir e o Saaz, que está presente na fabricação das primeiras cervejas do estilo Pilsen a serem produzidas no mundo.

Com teor alcoólico de 4,8% e amargor de 14 IBUs, resultou em uma cerveja bem fácil de beber, mas carregada de uma personalidade única.

Ja a Colombina Rensga IPA é uma cerveja de personalidade marcada pela complexidade aromática e pelo amargor bem inserido.

Os lúpulos escolhidos agregaram notas cítricas e de frutas amarelas, conferindo à bebida um amargor proeminente característico das IPAs, na casa dos 56 IBUs.

Seu teor alcoólico é de 5,6% e o resultado final foi uma cerveja equilibrada e muito aromática.

Ambas são disponibilizadas nas versões 600 ml e 355 ml, sendo que a Colombina Rensga IPA também ganhou a versão chopp.

Para este primeiro semestre a Cervejaria estima uma produção mensal de 8 a 10 mil litros dos dois novos estilos de Colombina.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários