Pão e Cerveja

Tapioca vira ingrediente de cervejas paulistanas

O uso de ingredientes brasileiros nas cervejas tem destacado lá fora a produção nacional

Rudá, cerveja com tapioca da OCA

Primeira cerveja da série Mani que usa tapioca na composição

A tapioca é um dos subprodutos da mandioca mais populares no Brasil. Na verdade chamamos a goma extraída da raiz erroneamente de tapioca, nome dado à iguaria, espécie de crepe, preparada com o ingrediente.

Mas, nome errado ou não, a tapioca ( na verdade a goma da mandioca) virou ingrediente de três rótulos da cervejaria Oca, de São Paulo, reunidos em uma série de cervejas NEIPA chamada Mani.

A série Mani é composta pelas cervejas Rudá, Amana e Amôri, sobre as quais falarei logo abaixo, e explora o uso da tapioca e de cereais não maltados, como aveia e trigo, para trazer a textura cremosa e aveludada das NEIPA´s

Rudá, o deus do amor na língua Tupi, é a primeira cerveja da série Mani a chegar ao mercado
Rudá é feita com tapioca e tem lúpulos especiais/foto: divulgação

Rudá é a primeira da série a chegar ao mercado

NE Double IPA de coloração amarelo vivo de turbidez intensa. Passa por duplo Dry Hopping com as variedades Barbe Rouge (francês) e Sabro (americano). O resultado é um amargor assertivo com intenso aroma e sabor de frutas vermelhas como morango e framboesa. Teor alcóolico de 8,4% .


A origem do nome Rudá é indígena e representa deus do amor na mitologia da tribo Tupi, uma das principais etnias brasileiras.

Amana,cerveja com tapioca
Segunda da série Mani, Amana recebe lúpulos alemães/foto:divulgação

Amana é a segunda da série Mani com uso de tapioca

Também uma New England Double IPA, Amana passa pelo mesmo processo de dry hopping da Rudá, porém recebe outras variedades de lúpulo: Galaxy (australiano) e Hallertau Blanc (alemão).

O resultado é um amargor correto com intenso aroma e sabor de frutas tropicais e uva branca. Teor alcóolico de 8,4%

Da mesma origem Tupi, o nome Amana significa chuva, nuvem.

Amôri também faz parte da série Mani, com tapioca como ingrediente
Os lúpulos neozelandeses trazem aromas de tangerina e toranja /foto:divulgação

Terceira cerveja com tapioca é a Amôri

Feita com a mesma base dos dois primeiros rótulos, Amôri recebe as variedades de lúpulo neozelandeses: Kohatu e Rakau, que trazem aroma e sabor de frutas tropicais e amarelas como Tangerina e Toranja.

Amôri também é um nome indígena, de etnia não reconhecida, e significa sol.

Sobre a Cervejaria OCA

Fundada em outubro de 2019, OCA já nasceu com a brasilidade em seu DNA. Seus rótulos são inspirados na biodiversidade e multiculturalismo brasileiros e procuram traduzir as matrizes indígenas e dos ecossistemas encontrados no país.

Em todas as suas receitas, a cervejaria OCA se propõe a incluir insumos tipicamente brasileiros, como a mandioca, o cumaru, o café, etc.

Leia + sobre ingredientes brasileiros em cervejas

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.