Pão e Cerveja

Entenda o caso de suposto envenenamento por cerveja

O que era tratado como boato até a data em que este post foi escrito foi comprovado por laudos da Polícia. Aguardaremos as conclusões do caso para voltar a falar sobre o que aconteceu. Erramos ao presumir a inocência da empresa, acreditando na máxima que todos são inocentes até que se prove o contrario

Cerveja Belorizontina, um case de sucesso, envolvida em boato

Jornalismo é feito por pessoas, passíveis de erros como qualquer um. Este post foi publicado no dia 5 de Janeiro, quando os primeiros áudios de Whatsapp, apontando contaminação na cerveja Belorizontina, não tinham qualquer comprovação. Infelizmente no dia 9 de janeiro o que até então era tratado como boato pela própria fabricante foi comprovado por um laudo da Polícia Civil. A partir daí, os desdobramentos das investigações policiais têm sido amplamente cobertas pela imprensa nacional. E resta a todos nós, tanto os que erraram, como eu, por acreditar na impossibilidade de uma contaminação como a apontada pelos laudos , como aqueles que afirmaram ter sido a cerveja a responsável antes de qualquer comprovação, aguardar o desenrolar das investigações. Assim, me junto a todos vocês na espera por respostas satisfatórias em relação a esse caso emblemático e triste.

É fake a informação de que a cerveja Belorizontina envenenou 5 pessoas em Belo Horizonte. O boato, que surgiu nesse sábado, dia 04 de janeiro, viralizou e tem causado pânico entre consumidores da cerveja em todo o Brasil.

A Backer produz, a cada lote de Belorizontina, 30 mil garrafas. Produzem 600 mil litros de cerveja todos os meses! Como seria possível que apenas algumas unidades dela saíssem contaminadas da fábrica?

Para que os que não conhecem, o processo de produção cervejeira precisa ser rigorosíssimo em termos sanitários. Cerveja é uma bebida fermentada, ou seja, o trabalho das leveduras, que são fungos, só se completa em um meio própício pra isso, sem a presença de bactérias ou outros organismos que possam competir com elas.

O uso de veneno na sanitização das garrafas, como também foi aventado, não existe. Isso deterioraria a cerveja, mudaria seu cheiro e sabor.

O boato sobre a cerveja Belorizontina começou pelas redes sociais. O elo alegado é que todos os intoxicados são moradores do bairro Buritis, compraram a bebida na mesma unidade do supermercado Super Nosso e a consumiram em um evento na véspera do Natal.

Não foram considerados fatores como outros alimentos consumidos, água, gelo, dedetização dos próprios condomínios onde moram as pessoas internadas.

O que contam os parentes das vítimas

A esposa de um dos pacientes internados divulgou no Grupo de Fornecedores de Alimentos do bairro Buritis o seguinte relato:

” Temos mais 3 casos em BH idênticos o Cris. Todos são moradores do Buritis, um rapaz é morador do prédio em frente do nosso. Internou no mesmo dia que a gente, dia 23 de Dezembro com o mesmo quadro, dor abdominal, insuficiência renal nos 2 rins, enjoo e vômito. Duas pessoas estão no hospital da Unimed entubados e inconscientes há mais tempo. O outro caso está internado em Juiz de Fora e é o sogro do rapaz de 37 anos que está internado no hospital da Unimed. Esteve em BH no Buritis e no retorno a Juiz de Fora foi internado com o mesmo quadro. A Vigilância sanitária e a secretaria de Saúde já está no caso. Estão tentando procurar algo em comum entre as pessoas. Investigar: envenenamento, intoxicação por metal pesado, toxina alimentar, parasita, vírus, …. Pesquisa intensiva da medicina no Brasil, equipe médica muito mobilizada mas nada de concreto. Então essas são as notícias. Rezem para que a equipe médica seja iluminada e descubram a causa e o melhor tratamento.”

As empresas que tiveram seus nomes envolvidos também divulgaram notas oficiais. Confira a seguir

O que diz a Backer

Nos 20 anos de história da cervejaria sempre prezamos, acima de tudo, pela qualidade de nossos produtos, que são produzidos e monitorados por excelentes profissionais do setor, pelo nosso laboratório interno e chancelados por laboratórios externos credenciados. Nossos fornecedores de matéria prima enviam laudos e certificados de cada lote dos insumos utilizados de cada produção. Monitoramos todos os lotes de cervejas que vão para o mercado e somos fiscalizados por todos os órgãos de vigilância sanitária e Ministério da Agricultura. Devido ao grande sucesso da cerveja Belorizontina e a grande concorrência no mercado, utilizam dessa notícia MENTIROSA, para atingir a marca Belorizontina que é tão querida pelos mineiros e não passa de uma tentativa de denegrir a nossa imagem. As medidas legais já estão sendo tomadas para punir os responsáveis dessa MENTIRA.

O que diz o Super Nosso

O Grupo Super Nosso informa que as mensagens que estão circulando nas redes sociais são infundadas. Mantemos o mais rigoroso controle de nossos estoques, em todas as nossas lojas.
A Cervejaria Backer é nossa parceira há anos e acreditamos firmemente que são apenas boatos para comprometer a imagem de uma marca de sucesso (Cerveja Belorizontina) e de uma empresa mineira idônea, extremamente séria e comprometida com seus processos.

E os órgãos de saúde também se pronunciaram sobre o caso

Nota oficial da PBH

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa: A Vigilância Sanitária esteve no imóvel onde foi realizado o evento e recolheu alimentos para análise. As amostras foram encaminhadas para o laboratório. O inquérito epidemiológico já foi aberto para investigação mais detalhada. Foram coletadas amostras biológicas dos pacientes sintomáticos e encaminhadas ao laboratório de referência.

Nota oficial da Secretaria de Estado da Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais informa que está em andamento, no Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), dois casos correlatos de acometimento renal severo, hepatite e pancreatite moderadas, encefalite/neurite no quarto/quinto dia. Sobre outros casos semelhantes, não há nada sistematizado ainda que possa afirmar conexão com os casos em investigação. Há, nos dois casos em investigação (2 homens – genro e sogro), uma síndrome atípica. Os demais casos notificados não estão necessariamente conectados. A SES-MG está acompanhando a investigação e amanhã terá a consolidação das novas informações do CIEVS.

Nota oficial da Unimed

A Unimed-BH informa que dois pacientes deram entrada no Hospital Unimed-unidade Contorno nos dias 22/12 e 25/12 com insuficiência renal e neuropatia motora progressiva. Os diagnósticos diferenciais estão sendo avaliados e não confirmados. Os pacientes estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital, recebendo todos os cuidados necessários e estão sendo acompanhados por uma equipe médica multidisciplinar. A Unimed-BH declara ainda que todos os esforços estão sendo feitos para prestar a melhor assistência e que está à disposição dos órgãos competentes para qualquer esclarecimento.

Opinião

É muita irresponsabilidade lançar suspeitas sobre uma marca, sem provas, sem dados, sem números que as sustentem. É o trabalho sério de muita gente posto sob suspeição. É a trajetória de décadas das empresas envolvidas jogada aos leões.

Eu acompanho de perto o trabalho da Cervejaria Backer, e de praticamente todas as cervejarias de Minas, há pelo menos 12 anos. Sei da capacidade e da qualidade do trabalho de todos na empresa. Tenho como um dos meus bons amigos o mestre-cervejeiro Sandro Duarte, que tem trazido dezenas de prêmios para a cervejaria, inclusive com a Belorizontina, um case estrondoso de sucesso.

Em 10 anos trabalhando neste mercado com a coluna Pão e Cerveja, como vice-presidente da Associação de Cervejeiros Caseiros, como sócia da Academia Sommelier de Cerveja que já formou mais de 500 profissionais, nunca deixei de acompanhar os processos e as produções das cervejarias mineiras.

Posso afirmar como profissional que conhece um chão de fábrica, que não seria possível que apenas algumas unidades de um lote inteiro de cerveja saíssem de qualquer fábrica contaminadas, envenenadas.

Que desserviço ao mercado como um todo esse tipo de informação falsa! E apenas para lembrar aos que começaram o boato: fake news é crime!

( post atualizado em 06/01/2020 )

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários