Pão e Cerveja

Cervejaria de SP questiona silêncio social sobre violência contra a mulher

A violência contra a mulher cresceu durante a pandemia. O número de feminicídios em SP aumentou 46%

Tarja preta para apontar o silêncio social sobre a violência contra a mulher

Cerveja lançada pela Dádiva para o Dia Internacional da Mulher 2021

A violência contra a mulher é o tema abordado pela Cervejaria Dádiva, de São Paulo, neste Dia Internacional das Mulher.

No próximo dia 8 de março nada das bobagens comuns como cerveja rosa, flores de brinde, textos rasos sobre o papel da mulher no cenário cervejeiro.

Neste dia, a luta, que deveria ser de todos, para erradicar a violência contra a mulher, será lembrada com o lançamento de uma cerveja para incomodar.

E incomodar aqui não tem nenhum sentido pejorativo. É intencional o incômodo pretendido já a partir do rótulo:

O nome da cerveja vem coberto por uma tarja preta. Justamente para mostrar o silêncio que paira na sociedade sobre as várias formas de violência que a mulher sofre todos os dias.

Cerveja lançada pela Dádiva critica o silêncio social sobre a violência contra a mulher
A tarja preta pode ser retirada e revela o tema contra a violência à mulher

“Buscamos hoje, sim, equidade de gênero – questão que nos é tão urgente e necessária – mas algumas mulheres ainda batalham pela simples sobrevivência.”, pontua Luiza Lugli Tolosa -sócia fundadora da Dádiva.

As campanhas de Dia das Mulheres da Dádiva, marca criada e gerida por uma mulher, sempre têm como mote o protesto contra as desigualdades de gênero.

+ leia aqui sobre outras campanhas promovidas por cervejarias

Neste ano, a ação questiona o silêncio pernicioso da sociedade diante da violência doméstica contra a mulher, que, no último ano, aumentou ainda mais no cenário de isolamento social decorrente da pandemia.

“O machismo age de forma muitas vezes silenciosa e naturalizada socialmente…

O que torna qualquer tipo de violência contra a mulher, seja ela psicológica ou física, um problema comunitário, uma responsabilidade de quem se cala diante disso….

Essa é uma luta que deve ser travada por todos”, explica Luiza.

A campanha do Dia das Mulheres proposta pela Dádiva neste ano pretende promover um debate social amplo e elucidativo sobre a violência contra a mulher.

Além de expor a responsabilidade de toda a sociedade de ajudar a quebrar o silêncio para motivar uma mudança efetiva.

“O nosso objetivo com a campanha é chamar as pessoas à responsabilidade e oferecer informação para que se discuta o assunto, além de apresentar canais de apoio às vítimas”, ressalta Luiza.

informações sobre a campanha, conteúdo sobre violência doméstica e indicações de projetos que apoiam mulheres que passam por esse tipo de situação podem ser acessadas aqui

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários