Pão e Cerveja

De ajuda a cães abandonados à inauguração de complexo cervejeiro em MG – o que foi pauta do Pão e Cerveja

A semana na coluna Pão e Cerveja trouxe novidades pra lá de interessantes

A coluna Pão e Cerveja no rádio falou de novidades diversas nesta última semana. Aqui estão os textos para quem não pôde ouvir, conferir ou para quem ouviu e quer confirmar alguma informação

Na 2a feira falamos sobre campanha de adoção de cães em latas de cerveja

A cerveja Punk IPA, da cervejaria escocesa Brew Dog, que é vendida aqui no Brasil, passa a exibir em suas latas fotos de cães abandonados em duas instituições de adoção do Reino Unido.

A cervejaria fechou parceria com as ongs na tentativa de conscientizar seu público sobre a adoção de animais abandonados. Além disso, cem por cento da renda obtida com a venda das cervejas dessa edição serão revertidos às duas instituições.

A série especial da Punk IPA foi batizada de Street Dog e não deve chegar por aqui, afinal é uma campanha local. Mas nada impede que a própria cervejaria, que tem inclusive um bar de fábrica em São Paulo, possa formar parcerias com instituições brasileiras para uma campanha semelhante, não é?

Já na 3a-feira, na coluna Pão e Cerveja o assunto foi a premiação da Estrella Galícia na World Beer Challenge

A premiação da linha 1906 no Reino Unido foi pauta da coluna Pão e Cerveja
Medalha de ouro na World Beer Challenge

Três medalhas de ouro dentro da competição World Beer Challenge. Esse foi o saldo alcançado pela cervejaria espanhola Estrella Galícia, na semana passada, com as cervejas 1906 Reserva Especial, a 1906 Red Vintage e a 1906 Black Coupage.

A WBC é realizada a cada ano no Reino Unido e nesta edição concorreram 355 cervejas, das quais 56 foram medalhadas.

1906 é uma série de cervejas da Estrella Galícia e acumula mais de 70 premiações mundiais, como European Beer Star, Craft Beer Awards e World Beer Awards

Na 4a-feira as cervejas folclóricas foram destaque na coluna Pão e Cerveja

Linha Lendas do Folclore Brasileiro também foi notícia no radio
Cerveja Lobisomem

Tem Lobisomem e Boiúna no mundo da cerveja! É isso. A cervejaria Artéza, de Belo Horizonte, resolveu batizar seus rótulos com personagens do rico folclore brasileiro. E as duas primeiras latas já estão no mercado.

Lobisomem é uma Pilsen e Boiúna é uma New England IPA. Outras figuras da nossa cultura popular já estão a caminho, devendo ser lançadas gradativamente, a cada mês, até o fim do ano.

Vêm aí a Belgian Pale Ale Curupira, a Dry Stout Saci Pererê, a Hop Lager Iara e a American Pale Ale com goiaba chamada Cuca.

Até que enfim o folclore brasileiro vai servir de inspiração para rótulos cervejeiros. Normalmente a estética dos rótulos segue uma linha americanizada que não nos diz muito culturalmente. Tá na hora de nos apropriarmos do que é nosso, não é mesmo?

Desafio Cervejeiro da Ambev foi o assunto da 5a-feira

Você que é universitário e faz sua própria cerveja pode ganhar um lote inteiro produzido em uma de trinta fábricas da Ambev no Brasil. A empresa lançou o Desafio Cervejeiro, uma competição voltada a estudantes universitários que sonham em ter uma cerveja para chamar de sua.

Para participar basta estar cursando algum curso de graduação, em qualquer ano. Podem se inscrever duplas ou grupos de até 4 pessoas.

Os concorrentes vão ter de apresentar um plano completo, desde a receita, o processo de produção, a embalagem e até o rótulo. Mas, mesmo aqueles que ainda não sabem tudo sobre o processo cervejeiro podem participar.

Para isso a empresa vai apresentar duas lives ensinando plano comercial e de produção. Se interessou? Então basta acessar o site https://ambev.gupy.io/jobs/257183 – as inscrições vão até 18 de setembro

Encerrando a semana, a inauguração do complexo cervejeiro do grupo Petrópolis em Uberaba

15 campos de futebol. É desse porte a fábrica da Cervejaria Petrópolis inaugurada na última sexta-feira em Uberaba, no Triângulo Mineiro.

Ali passam a funcionar doze edifícios administrativos e vinte e duas plantas fabris. É simplesmente o maior complexo industrial do grupo no Brasil. São 102 mil metros quadrados de planta construída onde serão produzidas as marcas Itaipava, Petra, Black Princess entre outras.

No funcionamento devem ser gerados oitocentos empregos diretos e até três mil indiretos. As cervejas produzidas na planta de Uberaba serão distribuídas em todo o estado de Minas Gerais e em cidades de São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

Quando estiver operando em sua máxima capacidade, a fábrica deve produzir 860 milhões de litros de cerveja por ano.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários