Pão e Cerveja

Especiarias, o que elas têm a ver com a cerveja e com o momento atual?

Cervejas com especiarias não são novidade nem invenção moderna. Elas existem há milhares de anos e são uma verdadeira delícia!

Especiarias na cerveja podem elevar o valor gastronômico da bebida

Elas foram o mote para a descoberta de rotas comerciais maritmas e terrestres

Cervejas com especiarias são como um elo com o período medieval, antes do advento do lúpulo. Esta é uma época bastante interessante para se falar das especiarias, uma vez que sua busca propiciou a expansão de uma das maiores pandemias vividas pela humanidade.

No Século XIV, um terço da população europeia foi dizimada pela Peste Negra, trazida da Asia Central por navios que navegavam pela Rota da Seda, justamente aquela aberta para a busca de especiarias na India e na China.

As especiarias eram vistas pelo povo europeu como uma das coisas mais valiosas que existiam. O nome – especiarias – vem do latim species, mesma origem da palavra especial.

Durante a peste, as pessoas usavam as especiarias como antídoto. Carregavam uma espécie de patuá, cheio delas, para espantar a doença. Ou, segundo apontam várias publicações, para disfarçar o cheiro podre dos dizimados pela doença.

Especiarias foram objeto para estabelecimento de rotas comerciais
Mapa das rotas comerciais traçadas desde o Século I/ Retirado do livro Uma História Comestível da Humanidade

Responsáveis por traçar um novo mapa, maritmo e terrestre, do mundo, por estabelecer impérios comerciais, por expandir as fronteiras do muçulmanismo, as especiarias fazem parte da história do alimento na humanidade. Assim como faz parte também da história da cerveja.

Antes do advento do lúpulo, as ervas e especiarias é que eram utilizadas para não só conservar a cerveja, como também dar um sabor mais agradável à bebida.

Nas cervejas belgas, que nunca ficaram sujeitas a nenhuma lei de pureza que limitasse os ingredientes como na Alemanha, o uso de especiarias – cardamomo, coentro, grãos do paraíso, por exemplo – é bem vindo e bem quisto.

O estilo Wit, que obrigatoriamente deve conter cascas de laranja curaçao e sementes de coentro, é um exemplo clássico desse uso.

Cervejas com especiarias são realmente especiais, mantendo aí as palavras de mesmo radical. Elas são aromáticas, misteriosas, envolventes e podem ser harmonizadas lindamente com comidas variadas.

Por isso, aposte nesse tipo de cerveja se quiser apurar seu paladar, conhecer a bebida por outro viés e elevá-la à condição de um alto elemento gastronômico.

Veja 7 cervejas com especiarias presentes no mercado que podem te pegar pelo pé!

  • Baden Baden Golden – leva canela na composição
  • BollyWood Trinca – uma White IPA com cardamomo
  • Pumpkin Ale Albanos – uma cerveja de abóbora com mix de especiarias
  • Mills Wit – leva baunilha na receita
  • Ouropretana Ginger IPA – leva gengibre
  • Wals Witte – além dos obrigatórios coentro e casca de laranja, leva pimenta da Jamaica
  • Júpiter Tanger – Wit com cominho, além das especiarias obrigatórias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.