Pão e Cerveja

O que é melhor: cervejas em lata ou em garrafa?

Os consumidores ainda têm muita desconfiança em relação às cervejas em lata. Conheça as vantagens e desvantagens das latas e garrafas.

Seja em lata ou garrafa, o importante é conservar bem a cerveja.

As latas permitem uma comunicação visual mais eficiente com o consumidor. Já as garrafas passam o conceito de tradição.

Cervejas em lata são tendência e cada vez mais cervejarias têm optado pelo envase exclusivo nas embalagens metálicas. No entanto, ainda há muita desconfiança em relação às latas, que, na visão do público, deixam a bebida pior.

Para esclarecer dúvidas sobre o assunto, o mestre-cervejeiro da Cervejaria Albanos, Pablo Carvalho fez, a pedido do Pão e Cerveja, uma tabela comparativa entre os dois tipos de envase

Cervejas em lata são ou não são melhores do que em garrafas? Dúvida comum aos consumidores.
Ambas as embalagens têm vantagens e desvantagens

Segundo ele, existem 03 principais “inimigos” de uma boa cerveja envasada:

  • Oxigênio
  • Calor
  • Luz

Cada embalagem possui suas vantagens e desvantagens. Confira abaixo quais são:

Cervejas em garrafaCervejas em lata
É a embalagem de cerveja mais tradicional.
Pode ser fabricada em vários modelos, tamanhos e cores.
São embalagens modernas, fabricadas em diferentes tamanhos. Sua identidade visual permite mais destaque em prateleiras .
O contato da cerveja com luz U.V. (luz solar) promove uma reação chamada Light struck*, no qual algumas moléculas do lúpulo sofrem uma degradação, liberando o aroma desagradável geralmente descrito como cheiro de gambá. A cor da garrafa tem um papel importante para a preservação da cerveja, impedindo ou retardando esse processo de degradação.As latas oferecem proteção total contra a luz solar ou incidência de luz artificial nos pontos de venda, impedindo que o light struck ocorra.
Temos garrafas marrons, azuis, verdes e sem pigmentação (“transparentes”) e cada uma apresenta um nível de proteção diferente. Alguns estudos demonstraram que, quanto mais escura for a garrafa, melhor para a cerveja, pois ela acaba funcionando como um filtro impedindo a passagem de boa parte dessa frequência de luz. As garrafas mais claras permitem maior passagem de luz e,consequentemente, a reação acontece mais rapidamente.
Para retardar este processo muitas cervejarias utilizam estabilizantes e conservantes, mas os fornecedores de lúpulos desenvolveram uma solução ( modificação da planta) que é mais resistente a esse processo de degradação, embora não seja oferecida em muitas variedades de lúpulos.
As latas, por serem completamente opacas, podem utilizar quaisquer cores e desenhos, uma vez que isso não terá influência na degradação do líquido. Assim, não é preciso utilizar estabilizantes ou conservantes do lúpulo, bem como é desnecessário o uso de variedades modificadas da planta.
Durante o envase das garrafas, as melhores engarrafadoras fazem vácuo para eliminar o oxigênio delas, depois o recipiente é preenchido com co2. Isso é feito para evitar incorporação de oxigênio pela cerveja e consequente oxidação.A retirada do ar dentro da lata é um processo um pouco pior do que nas garrafas, uma vez que não é possível fazer vácuo na lata sem que ela amasse. Então é necessário fazer uma espécie de enxágue com gás carbônico para evitar o contato da cerveja com o oxigênio do ar. A tecnologia evoluiu bastante neste quesito e as enchedoras mais modernas conseguem fazer a retirada do ar com bastante eficiência, até mesmo melhor do as enchedoras de garrafas dependendo do fabricante.
As tampinhas metálicas das garrafas podem vir com vedantes de plástico pouco eficientes, permitindo a troca gasosa com o meio ambiente externo, deixando assim que alguns elementos contaminem a bebida, tais como cloro ou outros materiais sanitizantes, mofo, entre outros. Para garrafas rolhadas, há um custo alto desse tipo de tampa, além de o encaixe nem sempre ser perfeito.Uma vantagem da lata é ela ser fechada hermeticamente, o que impede qualquer troca gasosa com o meio externo, algo que pode acontecer nas garrafas se o vedante plástico da tampinha não for de boa qualidade ou mesmo se o fechamento da garrafa não tenha sido feito adequadamente.
Como o vidro é um condutor de calor pior que o metal, a temperatura da cerveja é mantida por mais tempo numa garrafa do que numa lata.Quanto à transferência de calor a lata de alumínio perde para a garrafa pois o metal é muito melhor condutor de calor do que o vidro, então a cerveja aquecerá mais rapidamente, principalmente se a pessoa estiver segurando a lata com mão.
Do ponto de vista ecológico, os dois materiais são recicláveis e a economia de energia na reciclagem do alumínio é muito maior do que a do vidro, embora a produção do alumínio seja mais cara que a do vidro. A garrafa também pode ser reutilizada, desde que fabricada para este fim, por até 20 vezes; o que reduz custos de produção embora exista um custo maior de logística de recolhimento das garrafas nos pontos de venda.
O Brasil é um dos países que mais recicla alumínio no mundo, mais por uma questão social (por ser fonte de renda de famílias mais pobres) do que por consciência ecológica dos brasileiros.
A lata durante muito tempo foi um recurso disponível apenas para a grande indústria, devido aos grandes volumes mínimos de compra (muitas vezes superior à capacidade total anual de uma micro cervejaria) e pelas poucas opções de máquinas de pequeno porte.
Isso criou uma associação pelo consumidor de que a cerveja em lata é um produto de qualidade inferior ao produto feito pelas cervejarias artesanais.
Hoje esse preconceito vem diminuindo à medida de que mais e mais cervejarias artesanais estão optando por esse tipo de envase.
Devido ao contato com o oxigênio presente no gargalo da garrafa, a cerveja pode adquirir sabor metálico, lembrando ferro, sangue. Isso se acentua ainda mais se a garrafa for armazenada deitada, o que aumenta a superfície de contato com o ar presente na garrafa. Algumas pessoas associam um gosto metálico quando bebem a cerveja diretamente da lata, mas isso tem muito mais a ver com a proximidade da lata no nariz do que alguma transferência de sabor da lata para a cerveja, até porque existe uma película interna que protege a cerveja de entrar em contato com o alumínio.
As garrafas exigem uma logística especial para transporte , como engradados que separem umas das outras e as protejam de quebras. Isso encarece o transporte.A lata apresenta um peso total menor do que a garrafa de vidro e isso torna o custo de transporte dela mais barato do que a o da garrafa.
Tabela comparativa elaborada pelo mestre-cervejeiro Pablo Carvalho, de Belo Horizonte.

*Experimente produzir o aroma denominado Light Struck

Quem quiser conhecer o aroma do light struck pode fazer um teste simples que consiste em pegar duas garrafas de cerveja (especialmente as de vidro verde ou sem pigmentação) de um mesmo lote e guardar uma num ambiente escuro e deixar a outra receber luz solar diretamente durante o dia inteiro e depois resfriar as duas e provar. Será nítida a diferença de aroma entre as duas.

( esta pauta foi sugerida pelo leitor Guilherme Menezes)

A tendência do envase de cervejas em lata é mundial.O Brasil começa a se render a ela.
As latas são tendência e muitas cervejarias utilizam exclusivamente esse envase

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários