Pão e Cerveja

Voltando aos primórdios

Cervejas em madeira já eram assunto da minha coluna em 2017. Confira o texto original publicado no Jornal Estado de Minas

Texto originalmente publicado em 30/07/2017 no caderno Degusta do Jornal Estado de Minas 

Há cerca de três anos, aqui mesmo neste espaço, eu apontava a tendência das cervejas envelhecidas em madeira. Afinal já surgiam vários rótulos com essa pegada. O mercado hoje comprova que eu apontava a direção exata. As cervejas wood barrel aged são de fato uma tendência. Excelente tendência, aliás, que nada mais é do que o retorno às origens, aos primórdios da produção cervejeira. Eram em barris de madeira que a bebida, centenas de anos atrás, fermentava. Ali também a cerveja maturava e diretamente dos barris era servida. No Reino Unido, inclusive, há um movimento hoje de retorno às “ cask ales”, que são as tais cervejas servidas diretamente, através de pequenas torneiras de bombeamento.

O importante a saber sobre cervejas maturadas em barris de madeira é que elas ganham complexidade de aromas e sabores. E não raramente, devido à ação de organismos vivos presentes na madeira, se acidificam, adquirindo um caráter sour delicioso, outra das tendências atuais. Em muitos casos, os barris utilizados para a cerveja já haviam amadurecido outras bebidas, como brandy, uísque ou vinho. E se for assim, algumas características da bebida anterior podem se transferir para a cerveja, aumentando ainda mais a complexidade. Não é a toa, portanto, que esse tipo de cerveja possa lhe parecer cara. O custo de produção delas é maior, o que se reflete no preço final. De qualquer forma, vale a pena ficar de olho em ofertas e lançamentos e experimentar, ao menos uma vez, uma cerveja que tenha passado por barril. São muito saborosas e elegantes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Líquido e Certo