Pão e Cerveja

O inverno do &quote;Bode Cervejeiro&quote;

O primeiro contato que eu tive com uma cerveja de fato diferente, dessas que hoje chamamos de especiais, foi com a bock. Estilo da escola alemã, feita de maltes mais tostados, com teor alcoólico elevado, essa cerveja começou a ser feita no Brasil, no final da década de 1980, pela então cervejaria mineira Kaiser. Um lançamento de visão futurista que o país talvez ainda não estivesse sintonizado para entender. Quando foi lançada, a Kaiser Bock era anunciada como uma cerveja para o inverno, apesar de que, em sua origem, ela não é especificamente associada à estação fria. Mas, como no Brasil o calor é das loiras, o inverno, por dedução, deve ser das morenas. E assim o estilo pegou por aqui . Juntou-se a isso a estratégia de marketing de só vendê-la entre junho e julho, atiçando assim a vontade do consumidor. Quantos de nós não ficavam vigiando, à espreita, para sermos os primeiros a comprar a leva de bock do ano corrente? E o que dizer daquela musiquinha que tocava nos intervalos da novela das oito-” ôo Kaiser Bock…ôoo Kaiser Bock…” que não desgrudava mais da cabeça? Bock, em alemão, quer dizer bode e há duas versões para esse seja o nome do estilo.

A primeira seria a associação ao signo de capricórnio que, no zodíaco, corresponde ao mês de outubro, justamente quando essa cerveja é produzida, marcando o início do ano cervejeiro na Europa. A outra versão é que bock seria uma corruptela de Einbeck, a cidade onde o estilo se originou. De tanto ser falada “a cerveja de Einbeck”, a frase foi encurtando até chegar ao pequeno nome bock, com a pronúncia fechada que a língua sugere. Seja lá qual for a versão verdadeira, as justificativas para ambas são tão convincentes que cada um escolhe a explicação que preferir! Mas falando em preferências, as cervejas bock me agradam bastante o paladar. Elas são potentes, de teor alcoólico maior, mas ao mesmo tempo fingem ser leves, característica do que chamamos de fermentação lager, ou seja, em
temperatura mais baixa.

São amargas, mas nos deixam perceber toda a doçura da elevada carga de malte que contêm. Se pensarmos bem, bock é
uma cerveja bastante mineira na filosofia, fica ali, em cima do muro… Existem outros rótulos, importados inclusive, de bock disponíveis no Brasil. E você ainda pode encontrar versões diferenciadas do estilo, como a bock clara ou a duplamente alcoólica. Procure a Baden Baden Bock ou a Maibock Bamberg, ou ainda a Paulaner Salvator, e descubra a força desse bode cervejeiro!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Líquido e Certo