Pão e Cerveja

Cervejas para celebrar o amor

Para comemorar o Dia dos Namorados nada como uma bela noite, começando por aquele jantar especial,acompanhado de um bom vinho, certo? Não me oponho ao vinho, acho uma besteira rivalizar bebidas, mas no meu caso o jantar romântico ideal vem acompanhado de cerveja. É claro que se meu namorado me oferecesse um copo lagoinha cheio de uma loira qualquer estupidamente gelada, no Dia dos Namorados, eu pensaria seriamente em terminar o namoro. Mas, se ao contrário, ele me surpreendesse com taças de cervejas delicadas, harmoniosas e elegantes, ganharia pontos comigo e provaria ter pensado em detalhes na noite romântica perfeita. Aí me ponho a escolher rótulos que seriam uma bela surpresa para qualquer um, homem ou mulher, agradar o seu alguém. Eis, então, uma seleção de cervejas com toques especiais, capazes de mudar todo o conceito que se tem da bebida e de inspirar o amor.

Para abrir a noite, eu serviria a 21, da cervejaria Grimor, de Belo Horizonte. Delicadeza poderia ser o nome dessa cerveja, preparada com pétalas de rosas e hibiscos na receita. Não, não é uma bebida doce. É aromática, é leve, é fácil de beber. E aqui cito Chico Buarque que fala do amor no tempo da delicadeza, aquele em que não precisamos dizer nada, apenas seguir encantados um ao lado do outro. Como precisamos disso, não é mesmo?

Continuando minha série de cervejas afetivas, serviria a sugestiva Cerveja do Amor, da cervejaria Bodebrown, do Paraná. O nome parece meio tolo, mas na verdade é uma referência ao ingrediente especial que ela contém: amora. A base é uma cerveja de trigo, a ela se acrescenta o suco da fruta. Um dos detalhes mais interessantes, que se destacam à primeira vista, é a coloração da bebida, lindíssima, rosada, brilhante. E aqui já não conto mais com delicadeza, mas sim com um toque picante, ácido na medida, atributos que todo namoro deve manter vivos.

Para finalmente brindar o amor, por que não champanhe? Na verdade uma cerveja champagnoise. Indico a belga Deus, icônica e gloriosa com seus toques herbais que lembram manjericão. Ou mais próxima de nós, tão divina quanto a outra, a Wäls Brüt, de
Belo Horizonte, medalha de ouro na South Beer Cup 2012. Dourada, perfumada, com suas bolhinhas subindo do fundo da taça. Maravilhoso perlàge para fazer cócegas nos céu da boca e provocar o riso solto e nos fazer lembrar que humor e sorriso podem ser o segredo de um namoro duradouro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Líquido e Certo