Pão e Cerveja

Cerveja GOT – Fire and Blood

Uma das coisas das quais sou fã são as séries que vejo nas TVs à cabo. Podem ser brasileiras ou não. Adoro o formato. Sou órfã de Friends e de Dr.House. A nova mania, daquelas que pegam a gente pelo pé, é Game of Thrones. Viajo total na história da disputa pelo trono dos Sete Reinos. Torço pela Daenerys, claro! E fiquei louca ao saber que a Omegang Brewery, de Nova York, estava produzindo a cerveja do seriado, com marca licenciada pela HBO. Oh! My!! Desejo imediato, sem possibilidade de adiamento. Precisava mais que tudo nesta vida experimentar a bendita cerveja! Sorte minha é ter um amigo queridíssimo nos Estados Unidos, Dan Teff, um verdadeiro caçador de cervejas, que envia periodicamente suas descobertas para mim e um grupo de amigos. Recorri a ele e de pronto, em pouco tempo, recebi em mãos algumas garrafas da Fire and blood, uma red ale que, embora seja a mesma bebida, vem em quatro versões de rótulo. Em cada um deles, com pouca diferença na verdade, está a imagem dos dragões de Danny. Apaixonei-me! O rótulo é lindo e para fãs interessa mais até do que o líquido. Ainda bem, porque a cerveja não é lá essa maravilha toda. Eu diria que é bastante comum no sabor, mesmo trazendo um estilo não tão repetido e anunciando a adição de pimenta Ancho, que em tese daria um toque de fogo à cerveja dos dragões.

Ao tomar a cerveja, da qual não gostei tanto assim, mas cuja garrafa vazia fiz questão de guardar, finalmente entendi o que sentiam todas aquelas pessoas que há uns 3 anos, quando foi lançada a Duff, a cerveja dos Simpsons, tiravam fotos segurando a garrafa e exibindo o rótulo orgulhosas. Eram fãs de Bart, de Homer, de Margie… não da cerveja!

Para você, que também é fã de Game of Thrones, e quer tomar a cerveja da série, recomendo que não crie expectativas em relação à bebida. Sem esperar algo muito especial, aposto que ela lhe descerá muito bem. É fácil de ser bebida. Não é amarga demais, nem doce em excesso, nem encorpada de forma marcante. O teor alcoólico engana, não posso mentir. São 6,8 por cento de álcool, que não se percebem muito proeminentes, dando a impressão de ser uma cerveja menos forte. Mas isso, a meu ver, não compromete. O que importa é ter prazer em bebê-la. E já que o prazer maior é ter o rótulo em mãos, fica tudo certo, não é mesmo?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Líquido e Certo