Pão e Cerveja

Você já ouviu falar em cerveja Stout branca? Pois existem alguns exemplares dela no mercado

O estilo, tal como conhecemos, tem maltes torrados e coloração preta. Mas sabia que ele pode ser feito diferente?

Cerveja Stout com maltes claros e orgânicos

White Stout existe. Mas, o estilo não define que o perfil de maltes seja torrado, deixando a cerveja com coloração preta?

Pois é… é preciso voltar alguns passos na definição do estilo para entender o porquê de uma stout branca não ser totalmente subversiva.

Os guias de estilo o definem como uma cerveja preta, com sabor pronunciado de maltes torrados, muitas vezes similar ao café.

Só que os guias são posteriores ao surgimento dos estilos, não é mesmo?

Eles começaram a ser delineados na década de 1970, ou seja, descrevendo as cervejas disponíveis no mercado à época.

Porém, para entendermos por que Stout pode ser clara…

É necessário regredirmos até a Inglaterra do Século XVIII

Nesta época, o termo Stout era usado para definir a característica revigorante de qualquer cerveja. A palavra pode ser traduzida como robusta.

Uma cerveja robusta, de maior teor alcóolico, somente isso, sem definição de coloração ou perfil de maltes e lúpulos.

A associação do termo às cervejas Porters, tão em voga em Londres no século XIX, é o que levou à definição do estilo, que passou a ser chamado assim.

Nos pubs londrinos do final do Século XIX, pedia-se uma Stout Porter, ou seja, uma Porter robusta. E Porter, como bem sabemos, é uma cerveja feita com maltes torrados.

Com o tempo, abandonou-se a palavra Porter, simplificando o pedido: desce uma Stout… e assim consolidou-se o perfil de maltes torrados creditado ao estilo.

Algumas cervejarias modernas têm resgatado o conceito original da cerveja robusta.

E, mesmo usando maltes claros, elas estão produzindo cervejas nesse estilo.

Os parâmetros de álcool, açúcares residuais, corpo, lupulagem são característicos das stouts, em algum de seus subestilos, porém a coloração é diferente.

White Stout Coffee da Steinhaus é uma cerveja 100% orgânica
100% feita com maltes orgânicos, a Latitude 13 é uma Stout branca com adição de café

Uma delas é a Cervejaria Steinhaus, do Rio Grande do Sul, cujas produções são 100% orgânicas.

Ela produz a Latitude 13, uma White Stout com café.

A cerveja obedece os parâmetros do subestilo Oatmeal Stout, uma vez que leva aveia na receita, além do café também orgânico.

A diferença é que em vez dos usuais maltes torrados, a Latitude 13 é feita com maltes Pale, Pilsen e de trigo.

Há alguns anos, a Koala San Brew trouxe ao mercado uma cerveja colaborativa chamada Albine. Tratava-se, também, de uma White Stout.

White Stout com café, cacau, melaço e laranja.
Crazy Train é uma Imperial White Stout colaborativa das cervejarias Küd, de MG, e DaLaje, do RJ.

E agora, recentemente, a Küd lançou em parceria com a cervejaria carioca Dalaje a sua Crazy Train.

Batizada com o mesmo nome da música de Ozzy Osborne, Crazy Train – a cerveja- é uma White Stout com café, nibs de cacau, cascas de laranja e melaço.

Haja coração para tantos elementos deliciosos, não é mesmo?

Classificada pelos fabricantes como uma Imperial White Stout, a cerveja tem coloração dourada e 10% de álcool, portanto, bem robusta como é a tradução do termo.

Agora você já sabe, hein? Nem toda Stout é preta! Ela pode ser clara, dourada, chamada de white e continuar dentro do estilo, certo?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments