Pão e Cerveja

No Dia do Trabalhador, seis cervejas Porter para celebrar

Clássica English Porter produzida em Bento Gonçalves

1 de Maio, Dia do Trabalhador…  infelizmente, não há muito o que celebrar na data, pois  são milhões de trabalhadores brasileiros desempregados. Ainda assim penso em homenagear a força de trabalho como um todo. Àqueles que tentam sobreviver por meio de bicos, extras, uber, meus sinceros parabéns. Trabalhar é um direito, mais que um dever. Garantir o próprio sustento, uma vitória. Sobreviver, apesar de tudo ou de todos, é motivo, sim, de comemoração. E como cerveja é trabalho, é fruto dele, não podia deixar de falar da Cerveja Porter, estilo que leva no nome uma categoria de trabalho.

Apesar de ser muito mais antigo do que lhe creditam a criação, de já existir muito antes de ser batizado assim, o estilo ganhou o nome de seus consumidores mais assíduos: os estivadores dos portos londrinos. Com suas notas achocolatadas, levemente toffee, com um rastro de café, as Porter são cervejas deliciosas, muitas vezes subestimadas ou deixadas de lado. Também confundidas com as Stouts, o que é natural pelas semelhanças claras entre elas, as Porter são um afago no coração!

Tenho tomado algumas muito boas, inclusive as tenho servido em minhas aulas de harmonização, agradando em cheio. Por isso, hoje, Dia do Trabalhador, listo seis maravilhosas cervejas Porter para celebrar:

  1. Porter Leopoldina – classicona, com perfil terroso de lúpulos ingleses, cafezão no sabor e retrogosto. Formou um par perfeito com o cheesecake com calda de frutas vermelhas da Chef Ana Sílvia Valadão
  2. Backer Bravo – mais radical, é na verdade uma Imperial Porter maturada em Amburana. Cerveja premiadíssima, elaborada pelo mago Paulo Schiaveto. Harmonizada com hamburger de linguiça e cebolas caramelizadas na cachaça envelhecida em amburana ( produto SeuBurger – de Belo Horizonte) ficou um espetáculo!
  3. Klein Estivadora – a cervejaria de Curitiba adotou o nome do ofício e ainda o colocou no gênero feminino, o que é bem legal, porque faz alusão à Suellen, mulherão da porra, sócia da cervejaria.
  4. Fuller´s London Porter – porque clássico é clássico! PS: estive com o cevejeiro da Fuller´s há dois meses, em Blumenau. Não tive coragem de tietar abertamente, mas pude sentar com ele na mesma mesa em um jantar. Simples demais o cara!
  5. Tupiniquim Monjolo – outra Imperial Porter maravilhosa, irrepreensível eu diria. Corpo de veludo, disfarça bem os mais de 10% de álcool. É cerveja para encher a boca!
  6. Capa Preta Porter Berry – tenho certeza que já falei dela por aqui, afinal é uma das minhas cervejas preferidas. Leva framboesa na receita, que provoca uma explosão de sabor na boca. Lucas ( Carioca) mandou bem demais nessa cerveja!

 

Me siga também nas redes sociais

facebook.com/radiopaoecerveja

twitter@paoecerveja

instagram@fabiana.arreguy

Ou ouça diariamente a coluna Pão e Cerveja na www.1029fm.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários